※ À porta


Sinto que estou às margens.. lembro-me de estar à sua porta. Era algo tão natural, que soava ofensivo seguir o caminho. Eu entrava, você me abraçava, e todo o resto era como respirar.. Nosso tempo passava e se transformava, e em mim a confiança de que tudo aquilo era permanente acalmava meu coração. Saber seus gestos, ouvir seus risos. Mesmo em silêncio, nossa presença se completava, como se mesmo o ar tecesse entre nós a cumplicidade como linhas palpáveis. Mesmo que tudo o que nos unisse fosse um frágil laço invisível..

Hoje passo em frente à sua casa. Embora minha mente me traga vagamente a lembrança de sua campainha, meus pés já não me fazem parar. Sigo em frente e olho pelos cantos, como se olhar de frente concretizasse a realidade.. Como se apertar os olhos diminuísse a saudade.


[a pessoas que não visito mais]
Blogger Francy´s Oliva

porta, casa a momentos que cada item nós remetem a lembranças, e acreditamos assim que fechar os olhos elas desaparecem.
Bjs

20 de setembro de 2010 11:54  

Postar um comentário

<< Home