※ Clarice


Hoje não houve nenhum acontecimento lindo na minha vida (também, o que se há de esperar que aconteça nas primeiras 11 horas do dia?). Ah, sim. Ganhei uma biografia da Clarice Lispector de presente, e um caderninho de anotações dela (dela, diga-se: com o rosto dela na capa). Por fora eu sorri, por dentro eu dei ataques esquisofrênicos de alegria x). Já quase acabei de ler a biografia, já batizei o caderninho de anotações.. A poesia de estréia..

No início era flor, e era perfume
Raio de sol aquecendo a doçura
Afeição delicada cercada em tapume
Confiança perene em uma taça pura.

Me embebi de sonhos, e eu que sei
Dos devaneios mais leves que tive sozinho
Do teu rosto que me recordei
Pra não ver teus passos fora do meu caminho

Meus planos morreram na minha palma, enfim
Meu presente, um que me fora tomado
Em que ponto tua presença em mim
Fez-se luzir triste no meu passado?


Acho que vou ter problemas com esse caderninho. A Clarice me intimida. Sério mesmo.
Blogger Adri Schnell!

Menina, lindo é o teu blog!!! E quero dizer que Clarice é sempre inspiração. Nada de intimidações. Beijos e felicidade!!!

24 de agosto de 2007 11:12  
Anonymous Juliana

Lindas as poesias. São suas? Parabéns!!!

19 de setembro de 2007 14:53  

Postar um comentário

<< Home